Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cinco Horizontes

Porque é importante não ter só um

Cinco Horizontes

Filmes #1 - Que Mal Fiz eu a Deus? // Noé // Heffalump - O Filme

Filmes1.jpg

 

Que Mal Fiz Eu a Deus? - Negligencio bastante os filmes europeus, de um modo geral. Não é por nenhuma razão em especial, para além de que os filmes americanos e ingleses têm, geralmente, uma maior visibilidade e por isso acabam por chamar mais a minha atenção, até porque não sou cinéfila e não costumo andar à procura de pérolas escondidas. Dito isto, passei a ter TV Cine desde a semana passada e logo no primeiro dia andámos a ver o que ia dar. Que Mal Fiz Eu a Deus?, um filme francês, era uma das opções e foi o que acabámos por escolher.

A história é a de um casal francês que tem 4 filhas, sendo que as três mais velhas são casadas com pessoas de raças diferentes e a quarta prepara-se para fazer o mesmo. Toda a comédia gira em volta destas pessoas e trata, de uma forma engraçada e bem conseguida, temas como o racismo, a xenofobia, o respeito e a aceitação. Não sendo um filme memorável a todos os níveis, acaba por proporcionar momentos de boa disposição e é, por isso, um filme que recomendo. - 7/10

 

Noé - Andava com curiosidade para ver este filme desde que estreou no ano passado, sendo a principal razão a presença de Russel Crowe, de quem gosto bastante. Lá surgiu a oportunidade e fiz-me ao caminho. Este não é um típico filme bíblico, porque adiciona à conhecida história alguns elementos diferentes. E com diferentes quero dizer que a Terra encontra-se dominada pelos filhos de Caim, que construíram grandes cidades industriais e que deixaram a terra desolada; temos também a parte em que, para construir a arca, Noé tem ajuda de uma espécie de anjos caídos, seres gigantescos feitos de... pedra. Assim ao estilo dos gigantes de pedra no Hobbit. Se em relação a estes ainda houve desenvolvimentos, as grandes cidades industriais foram referidas exatamente uma vez, e se era para não voltarem a falar no assunto acho que mais valia terem deixado esse aspeto de lado. 

Quanto ao enredo, sinceramente não achei nada de especial. Para além do dilúvio e de toda a história que rodeia a arca, tentaram inserir aqui vários dramas familiares na relação entre Noé, a sua mulher e os filhos, mas confesso que me passou um bocado ao lado. Para mim, o melhor do filme são as interpretações (gosto sempre do Russel Crowe, o que se há-de fazer?) e os efeitos especiais. De resto, acho que é um filme dispensável. - 6/10

 

Heffalump - O Filme - Como devem imaginar, este foi-me "impingido" pelo meu filho de 2 anos e meio. Ele gosta sempre de ver desenhos animados com companhia e eu sentei-me ao lado dele para ver. E não é que gostei? É uma história passada no Bosque dos Cem Acres, com Pooh e companhia, que tem como temas a aceitação do que é diferente, a importância de não julgar os outros sem conhecimento de causa e o valor da amizade. Sem dúvida, um bom filme para ver em família. - 7/10

 

 

 

8 comentários

Comentar post